Para utilizar las funcionalidades completas de este sitio es necesario tener JavaScript habilitado. Aquí están las instrucciones para habilitar JavaScript en tu navegador web.

Descoberta cemitério de dinossauros no atacama

Os restos mortais foram encontrados a uma altitude de mais de 4.300 metros em Cerro Tormento – 121 quilômetros da cidade de Copiapó por cientistas da Universidade do Chile, Sernageomin, Universidade Andrés Bello, Museu Nacional de História Natural e Universidade de San Louis da Argentina.

Em 2018, começaram as escavações neste local, onde foi possível extrair vários fragmentos fósseis deste animal, tornando-se um dos poucos cemitérios encontrados em todo o mundo.

O estudo foi publicado na revista Cretaceous Research, onde foi relatada a descoberta de ossos desarticulados em boas condições, incluindo fêmur, tíbia, úmero e vértebras cervicais.

Os especialistas expressaram que em todo o mundo existem poucos achados de vários pterossauros preservados juntos, pelo que sua descoberta gera um grande impacto. Além disso, os ossos de pterossauros do Cerro Tormento são preservados em 3 dimensões, o que é incomum, já que os ossos desses animais geralmente são preservados quebrados e esmagados por serem muito frágeis. Isso permite analisar características que dificilmente podem ser observadas em espécimes triturados.

Este réptil alado, também conhecido como dragões voadores, é caracterizado por ter pescoços compridos e focinhos alongados com centenas de dentes que lhes permitiam se alimentar filtrando a água, semelhante ao que fazem os flamingos. Além disso, eles tinham um tamanho de mais de 3 metros com as asas estendidas.

 

AS PRIMEIRAS DESCOBERTAS

As primeiras suspeitas deste cemitério de pterossauros foram reveladas em 2013 durante uma excursão de estudantes da carreira de geologia da Universidade do Chile. Os alunos da época, Edwin González e Hermann Rivas, encontraram alguns ossos soltos preservados em lajes de rocha, sem conseguir encontrar o local específico de onde vieram.

Após essa descoberta, foi que em 2018 a Rede Paleontológica da Universidade do Chile organizou uma expedição ao local composta por Mario Suárez, Omar Vicencio, Roy Fernández, Edwin González e Jhonatan Alarcón.

 

Fonte: Universidade do Chile
Fotos de Mauricio Alvarez Abel / Instagram: @mauricio_alvarez_art


Load: 106 queries - 331ms - 23.3MB - 1249 cache hits / 1355
Query: 122 queries - 404ms - 24.1MB - 1417 cache hits / 1536
Display: 337 queries - 793ms - 28.8MB - 5410 cache hits / 5726